Servidores protestam contra Reforma da Previdência

Brasília, terça-feira, 28 de novembro de 2017 - 16:1      |      Atualizado em: 7 de dezembro de 2017 - 17:37

PREVIDÊNCIA

Servidores protestam contra Reforma da Previdência


Por: Christiane Peres

Manifestação é "esquenta" para greve geral no dia 5 de dezembro.

Gilmar Félix/ Agência Câmara

A manhã desta terça-feira (28) foi marcada por manifestações em frente à Câmara dos Deputados contra a Reforma da Previdência (PEC 287/16). Um grupo de servidores públicos federais, de representantes do movimento estudantil, de moradia, além de centrais sindicais ocuparam uma das entradas da Casa para afirmar que a proposta do governo Temer não passa no Congresso.

Munidos com faixas e cartazes com palavras de ordem e listas dos desmontes já causados por Temer desde que assumiu a Presidência da República, o grupo reivindica ainda uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para expor os danos que a proposta do governo causará aos trabalhadores.

Apesar de Maia ser declaradamente favorável à PEC 287, parlamentares da Oposição se comprometeram a articular o encontro.

A manifestação contou com o apoio de deputados de partidos de Oposição, com o PCdoB, PT, PSol. A vice-líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), aproveitou a oportunidade para reforçar que o novo texto apresentado pelo governo é tão cruel quanto a proposta original. A parlamentar alertou que o déficit anunciado pelo governo é mentiroso e elencou os benefícios que Temer tem consigo passar para “os grandes”, como a aprovação do Refis, a tentativa de renegociação da dívida de ruralistas, entre outras.

“Sabem quanto o governo vai deixar de arrecadar com a MP do Petróleo? R$ 1 trilhão. Sem contar nas outras benesses que já deu a ruralistas, empresários. Esse é um governo canalha, que fala fino com os grandes para falar grosso com os trabalhadores que ganham menos de um salário mínimo. Não tem acordo possível e esta será a maior derrota desse governo”, afirmou Jandira.

Para o líder do PSol, deputado Glauber Braga (RJ), a partir de agora, manifestações serão essenciais para mudar o rumo das votações na Casa. A expectativa do governo é colocar a PEC 287/16 em votação já na próxima semana. No entanto, Temer ainda não os 308 votos necessários para fazer uma mudança constitucional.

"Não podemos aceitar mentiras como fato consumado. Quem vira esse jogo é a rua, são os trabalhadores organizados. Esse é o caminho para barrar essa reforma”, disse o parlamentar.

Segundo os servidores, esta mobilização é um “esquenta” para o dia 5 de dezembro, quando centrais sindicais estão convocando uma nova greve geral.

“Dia 5, na greve geral, estaremos nas ruas em todo o país para barrar essa reforma. Essa também é uma luta da juventude. Se a Reforma da Previdência passar, aliada à Reforma Trabalhista, vai assassinar de vez o futuro da juventude, que não terá emprego digno nem perspectiva de se aposentar. Temer quer salvar seu pescoço, mas não vai conseguir”, afirmou a presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Marianna Dias.

Para a deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), este é o início de “uma maratona em defesa dos direitos dos trabalhadores”, força, que, segundo ela, “vencerá”.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com