Parlamentares criticam Ricardo Salles e ressaltam história de Chico Mendes

Brasília, terça-feira, 12 de fevereiro de 2019 - 16:54      |      Atualizado em: 14 de fevereiro de 2019 - 13:50

POLÍTICA

Parlamentares criticam Ricardo Salles e ressaltam história de Chico Mendes


Por: Da Redação

Para comunistas, declarações de Salles demonstram o desrespeito deste governo à Amazônia.

Arte de Keryma Lourenço

Mais uma declaração infeliz do primeiro escalão do governo Bolsonaro movimentou as redes sociais nesta terça-feira (12). Desta vez, a pérola veio do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobre o seringueiro e ativista Chico Mendes. Em entrevista no programa Roda Viva, na noite de segunda-feira (11), os jornalistas perguntaram a Salles sua opinião em relação a Chico Mendes, assassinado em 1988, em Xapuri, no Acre, por fazendeiros que se opunham às suas ações pela preservação da Amazônia. Em resposta, ele disse: “Que diferença faz quem é Chico Mendes neste momento?".

O chefe da pasta do Meio Ambiente disse ainda que desconhece a história de Chico Mendes e que ouve relatos contraditórios sobre sua vida. "Do lado dos ambientalistas, mais ligados à esquerda, há um enaltecimento do Chico Mendes. As pessoas que são do agro, que são da região dizem que o Chico Mendes não era isso que é contado, que se aproveitava dos seringueiros", disse.

As declarações foram criticadas nas redes sociais e no Parlamento. A hashtag Chico Mendes ficou entre as mais comentadas no Twitter. Em sua conta na plataforma, a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) recomendou que Salles assistisse a um vídeo do ex-presidente Lula sobre o líder seringueiro. No vídeo, gravado pouco tempo depois do assassinato de Chico Mendes, Lula reafirmava a luta de Mendes pela defesa da Amazônia.

"Será que essas pessoas são tão burras que imaginam que matando o Chico Mendes mataram a luta do Chico Mendes? Chico Mendes foi covardemente assassinado na porta de sua casa em Xapuri, por fazendeiros que queriam invadir terras e derrubar a floresta”, disse Lula à época.

Já para a deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), desconhecer a importância de Chico Mendes para a preservação da floresta é desrespeitar a Amazônia, a história do líder, dos amazônidas e do povo do Acre. “Ele foi um mártir da floresta. A história da Amazônia não dá para ser contada sem o Chico”, disse a parlamentar.

Chico Mendes foi condecorado pela ONU em 1987 por sua luta em defesa do meio ambiente. O ecologista ajudou a organizar o trabalho e a resistência dos seringueiros e foi fundador da primeira reserva extrativista do Brasil, com 40 mil hectares de exploração conservacionista, em São Luiz do Remanso, situado a 80 quilômetros de Rio Branco, capital do Acre. Sua morte repercutiu no mundo inteiro, onde era conhecido como o “herói da floresta”, tendo sido o único brasileiro a participar, em 1988, de uma reunião de 500 ecologistas de todo o mundo na ONU.

Em dezembro de 1990, depois de um julgamento que durou quatro dias, os assassinos de Chico Mendes foram condenados a 19 anos de prisão.

*Com informações do Portal Vermelho









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com