Ministro de Bolsonaro terá de explicar espionagem na CNBB

Brasília, terça-feira, 12 de fevereiro de 2019 - 11:26

POLÍTICA

Ministro de Bolsonaro terá de explicar espionagem na CNBB


Por: Da Redação

Deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA) protocolou requerimento na Câmara convocando o general Augusto Heleno para prestar esclarecimentos sobre o caso.

Reprodução da Internet

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno Ribeiro, poderá ter que dar explicações na Câmara dos Deputados sobre a denúncia de espionagem da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo na última semana.

Diante da gravidade do caso, o deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA) protocolou nesta terça-feira (12), um requerimento de convocação (303/2019) do ministro de Bolsonaro para prestar esclarecimentos sobre o caso. O pedido será analisado pelo Plenário da Casa. Para Jerry, este tipo de procedimento é inadmissível num Estado democrático de direito.

“Contraria as garantias constantes da Constituição Federal e precisa ser urgentemente explicado pelo governo. Se, de fato, a Presidência da República, por meio da Abin, estiver espionando e tratando a CNBB como “inimiga interna”, estaremos diante de um dos maiores escândalos deste começo de ano. É inaceitável a volta da “doutrina da segurança nacional” utilizada de maneira nefasta pela ditadura”, afirmou.

O deputado pede que o Plenário da Câmara aprove, por maioria simples, a convocação do ministro. Se isso ocorrer, Heleno será obrigado a ir à tribuna da Casa para se pronunciar e depois responder aos questionamentos dos parlamentares. Cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convocar a comissão para ouvir o ministro. Uma falta configura crime de responsabilidade.

Segundo a reportagem do Estadão, o Palácio do Planalto quer conter um avanço da Igreja Católica na liderança da oposição ao governo Bolsonaro. Na avaliação da equipe de Jair Bolsonaro, a Igreja é uma tradicional aliada do PT e está se articulando para influenciar debates antes protagonizados pelo partido no interior do país e nas periferias.

O alerta teria sido feito por informes da Abin e dos comandos militares, que teriam relatado articulação de cardeais para o Sínodo sobre Amazônia, que ocorrerá em outubro em Roma.

Para a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) é preciso que haja uma apuração rigorosa da denúncia feita pelo jornal. Segundo ela, se a informação for comprovada, a espionagem na CNBB é gravíssima. “Põe o governo do lado daqueles que menosprezam o direito à liberdade, privacidade e de organização. Não podemos ignorar essa ação. Queremos respostas!”, cobrou em suas redes sociais.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com